sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

Reflexões de uma professora em início de semestre

A cada início de semestre reflito em relação às novas relações.

A maioria de nós, docentes, a esta altura, está montando cursos, pensando em como estimular o interesse dos estudantes, incentivar a busca ativa e a construção colaborativa de conhecimento.

Sempre digo que não ensinamos conteúdo nenhum... O aluno aprende principalmente quando quer, quando se apaixona, mas também quando precisa daquele conhecimento (por exemplo, em ano de concurso, como a seleção para a residência médica). No entanto, este aprendizado pode ser favorecido quando estabelecemos uma boa relação uns com os outros.

Então, nosso maior desafio é seduzir os alunos. Fazer com que tudo aquilo "ensinado" faça sentido pra ele, tenha importância e, principalmente, que ele goste.

Também falo muito que não há muitas maneiras apenas de "preparar Neston", mas também de fazer medicina. Ao contrário do que muitos pensam e do que muitos falam, acho que o curso de medicina não precisa ser sofrido. Pode ser uma descoberta e uma paixão que cresce a cada dia...

Isto que eu gostaria de promover no grupo de futuros médicos, ou de jovens médicos, com quem tenho o prazer de conviver. Pensemos sempre que somos transitoriamente professores e alunos (outra fala que sempre repito). Estamos participando de um processo de educação de adultos, que com respeito e seriedade, podem compor, no futuro, uma equipe de bons profissinais, com quem poderemos trabalhar... Médicos que podem cuidar de um familiar nosso. E será um orgulho dizer um dia ¨foi meu aluno¨. Como o orgulho de mãe quando vê o sucesso do filho.

A Nova Escola, revista voltada para o ensino fundamental e médio, tem uma reportagem recente e seu site de como a postura do professor influencia a turma. E comenta-se sobre algumas atitudes abomináveis. Interessante matéria, que vale também para quem lida com ensino superior.

A todos desejo um bom ano letivo, com a criação de lindos espaços de convivência.

E acabei de lembrar de um livro que adorei quando li. Prá variar, é de Rubem Alves: "Por uma educação romântica". Recomendo!

São palavras de início de semestre, de uma professora eternamente apaixonada pelo que faz. Bom retorno às aulas para todos!

2 comentários:

Marceli Serrano disse...

Cada texto seu que eu leio, assim como cada orientação e ensinamento q vc passa, aumenta minha admiração por você. Acredito que se sua postura e paixão fosse presente em todos os nossos professores, teríamso um ensino com uma qualidade muito maior!
Por vezes venho aqui e leio suas publicações, na maioria das vezes não comento (a carroça do meu computador acaba com minha paciência!),mas coincidentemente, ontem estávamos conversando na sala de aula sobre a falta de postura e de interesse de grande parte de nossos professores, e hoje lendo sua reflexão, não pude deixar de comentar.
Temos nossa parcela de culpa,na maioria das vezes somos apáticos e não reivindicamos nada além de notas(em geral, é só isso que nos cobram!),porém qd encontramos professores como vc,enxergamos que podemos ir além, que somos capazes de muito mais.
Obrigada pelo apoio de sempre e parabéns!
Bju e saudade!

Mônica Firmida disse...

Puxa, Marceli.
Obrigada por suas gentis palavras.
Fico feliz se vc acha que contribuo para sua formação, porque isto, para mim, é a realização de um sonho.
Fico triste em saber destas situações que vcs têm vivido e sentido.
Se algo estiver ao meu alcance, vamos, sempre juntos, lutar por um presente e um futuro melhor.
Muito obrigada, mesmo!
Fiquei emocionada...