sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

Insistência de mãe salva bebê após três médicos dizerem que câncer era resfriado

Apesar de alguns cientistas afirmarem que o instinto materno não existe (a figura da mãe seria construída na convivência com o bebê), a britânica Adelle Wright acredita que foi por causa disso que ela descobriu que sua filha estava com câncer, mesmo depois de três especialistas afirmarem que o que a menina tinha era um resfriado.

Durante férias de família em setembro, na Espanha, Ruby, hoje com 16 meses, adoeceu e seus pais preocupados voltaram para casa. Na primeira ida ao médico, ele diagnosticou um resfriado. Como a menina não melhorava, os seus pais a levaram mais duas vezes ao hospital, os especialistas confirmaram a doença e receitaram gotas nasais, apesar da garota não comer e ter muitas dificuldades para respirar.

Mas a intuição de Adelle disse para ela não desistir. A mãe, então, levou a menina até um hospital em Manchester, Inglaterra. Nessa ocasião, os médicos afirmaram que a garota estava com rabdomiossarcoma, um câncer dos tecidos moles que afeta cerca de 60 crianças por ano no Reino Unido. Por conta disso, um tumor que ocupava cerca de 90% da traquéia de Ruby foi encontrado.

"Os médicos podem ter pensado que éramos pais insistentes, mas eu sabia que algo estava errado. De qualquer maneira, a descoberta foi um choque: em uma semana o diagnóstico passou de apenas um resfriado para um câncer", contou a mãe ao jornal Daily Mirror. Os próprios especialistas disseram que a insistência de Adelle pode ter salvado a vida de Ruby. Desde a descoberta da doença, a menina já operou três vezes e agora passa por quimioterapia.

FONTE: Crescer

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

O médico, o paciente e a internet

A revista Veja publicou uma reportagem bem interessante sobre a relação entre médicos e pacientes na internet, em especial no Facebook. A conclusão é de que a maioria dos médicos não está preparado para isto, que não adicionaria pacientes em sua rede e que o Facebook pode atrapalhar a relação entre eles.

Sei que minha opinião pode parecer radical para alguns, mas eu acho isto tudo uma besteira.
As relações na rede, ao meu ver, devem ser imbuídas dos fundamentos básicos de qualquer relação humana e social: respeito e compromisso com o que se fala ou faz.

Nós médicos não podemos nos esquivar da evolução... E temos que cuidar das pessoas com a clareza de que a vida delas é tão importante quanto a nossa. E a condição comum de sermos PESSOAS talvez seja o que lhes fazem confiar em nossos CUIDADOS. O paciente não quer médico em pedestal (eu acho). Ele quer alguém que olhe no olho, que converse com ele, que saiba escutar e que o dê segurança e conforto.

Então, não esqueçamos que médico é uma pessoa como qualquer outra. O que ele acha que pode/deve fazer em público deve reger também seu comportamento na rede.

A informação está disponível para todos e o Dr Google é o primeiro "consultório" da maioria das pessoas. Qual é o problema do paciente perguntar muito, chegar com folhas impressas sobre suas doenças ou, até, fazer seus "diagnósticos"? Nenhum. Muitas vezes eles até acertam... :-)

Isto costuma incomodar principalmente o médico que se julga "dono do saber", que se relaciona com o paciente de maneira desigual, que vive em uma redoma e fala de um pedestal.

Vejo esta realidade, então, como um desafio que pode impulsionar os médicos a se manterem atualizados, buscando reconhecer e superar seus limites.

Além de se atualizar, o médico deverá saber "filtrar" o que o paciente buscou na internet, ajudá-lo a obter informações confiáveis e, invariavelmente, abordar o SOFRIMENTO do paciente com o seu problema de saúde e não apenas a sua DOENÇA.

Quem sabe isto não melhore a qualidade da medicina que, infelizmente, tem deixado muitas vezes a desejar...?

Gostei desta reportagem. Pode provocar um ótimo debate.

Sugiro que as pessoas levem isto para discutir com outras pessoas e, em especial, com estudantes e professores de medicina.

Temos que evoluir! Ou, pelo menos, temos que nos adequar a esta nova forma de relação médico-paciente.

E então? O que você acha?
Não precisa concordar comigo.
Acho que quanto mais debatemos, mais visões conhecemos e todos crescem...

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

China trata (ou maltrata?) viciados em internet


Com 10 milhões de viciados em internet, China cria 400 centros para dependentes e usa até eletrochoques

PEQUIM - No início de 2010, 14 jovens chineses, de 15 a 22 anos, revoltaram-se contra a administração da clínica de reabilitação onde tinham sido internados, na província de Gansu, para tratar de seu vício em jogos eletrônicos. Para mostrar sua insatisfação, eles simplesmente amarraram o diretor num poste e fugiram correndo. Mas, por falta de dinheiro, não foram muito longe. A polícia os deteve. De volta ao centro de reabilitação, eles explicaram que a razão da fuga tinha sido o tratamento brutal, a disciplina militar e a violência física a que eram submetidos para livrarem-se do vício. Em 2009, outro incidente semelhante num centro de tratamento do Sul da China terminou em tragédia: um jovem interno apanhou até morrer. Dois instrutores foram condenados a dez anos de prisão por homicídio.

Casos assim tendem a se disseminar pelo país. De acordo com o jornal "China Daily", já existem na China cerca de 400 centros de reabilitação onde o vício em internet é tratado com a ajuda de métodos brutais como punições corporais e eletrochoques. Isto porque a chamada "dependência digital" transformou-se num dos principais problemas de saúde pública do país.

De acordo com uma pesquisa realizada pela Associação Internet da Juventude Chinesa, sofrem de dependência virtual dez milhões dos 195 milhões de jovens (ou seja, com menos de 25 anos de idade). O dado explica a multiplicação dos centros de desintoxicação.

Cresce o número de 'mobinautas'

A China é o hoje o maior consumidor mundial de novas tecnologias, principalmente no setor de telefonia celular e de internet. As empresas do setor estão de olho no país. Fabricante dos dispositivos eletrônicos mais desejados em todo o mundo, a Apple calcula que o número de usuários de celular chineses esteja, atualmente, em 800 milhões. E esse total vai ultrapassar o bilhão em 2020. Ou até antes.

Por sua vez, o China Internet Network Information Center (CNIIC) assegura que existem 450 milhões de internautas no país. Desse total, 50% têm menos de 25 anos, 46% são mulheres e cerca de 30% fazem parte da categoria dos $, um neologismo inventado pelo CNIIC para denominar aqueles que acessam a internet através do celular. Esta última categoria é a que mais cresce: 50% entre 2009 e 2010.

Uma das explicações para o sucesso da internet no país é o próprio custo do acesso à rede: na China, sai bem mais barato navegar na rede via celular do que através dos computadores.

Outro dado interessante é que os jovens chineses têm preferência pelos sites de música (84,5%), de notícias (81,5%) e correio eletrônico (77,2%). A garotada da chamada Geração Y (com menos de 20 anos de idade) passa muitas horas diante da tela tanto para a comunicação pessoal quanto profissional. No trabalho, a média é de 34 horas por semana, contra 11 horas nos países ocidentais. Em casa, para uso pessoal, os jovens chineses dedicam em média 14,8 horas por semana aos jogos eletrônicos - contra 3,4 horas no resto do mundo; 5,1 horas para compras na internet (contra uma hora nos outros países) e três horas para ver os vídeos musicais.

Estes dados podem parecer exagerados - mas, num país de grande população como a China, eles são facilmente explicáveis. A loucura virtual que tomou conta dos consumidores é consequência do $de que as multinacionais investiram US$ 765 bilhões neste mercado nos últimos 30 anos. Todo esse dinheiro circulando pelo país provocou rapidamente o crescimento de um setor que a China praticamente desconhecia. O resultado foi o surgimento, em pouco tempo, de uma verdadeira fúria consumista: todos querem ter o modelo de aparelho mais recente. E muitos trabalhadores são capazes de pagar até 30% do salário mensal para adquiri-lo.

Tecnologia mudou o hábito da escrita

Nas fábricas do Sul do país, principalmente na região de Shenzhen, onde a mão de obra barata atraiu rapidamente os investimentos estrangeiros, a oferta de televisores, computadores, DVDs e smartphones explodiu, conquistando tanto mercado externo quanto interno. Atualmente, não há marca internacional de prestígio que não esteja na região: Microsoft, IBM, Siemens, Apple, Nortel, Hitachi e Sony, entre tantas outras. Em 2000, das fábricas chinesas saíam 10% da produção mundial de eletrônica. Em 2010, já são 26% - e se prevê que esse índice chegará ao patamar de 30% em 2020.

De acordo com o instituto Decision, especialista em estudos de mercado para a indústria eletrônica, em 2011 a China vai fabricar 70% dos DVDs, 46% dos computadores, 42% dos celulares e 39% dos televisores à venda no mercado mundial.

Mas não é certo que no futuro estes produtos só se destinem à exportação. A China está mudando seu modelo de crescimento econômico voltado para o comércio exterior. A conquista do mercado interno foi uma das soluções apontadas pelo governo para contornar a crise financeira de 2008/2009. Para incentivar o consumo das novas tecnologias, as autoridades chinesas elaboraram uma estratégia comum com as principais multinacionais do país como Lenovo, Haier, Great Wall ou com a Acer de Taiwan. Cantores, estrelas de cinema, humoristas ou esportistas de renome foram escolhidos para louvar os méritos de celulares ou computadores em outdoors ou em programas de televisão.

Paralelamente, o governo concedeu subsídios a escolas, universidades e empresas que desejassem adquirir equipamentos modernos. Campanhas para aumentar o acesso à internet nas áreas rurais também foram lançadas, de modo que o consumo interno atingiu níveis exponenciais.

Para isto contribuíram vários fatores: primeiro, a fascinação dos jovens chineses pelos produtos do Ocidente que sejam símbolo de status ou de modernidade. Segundo, o princípio básico do relacionamento social, que é "não perder a face", ou seja, não se sentir humilhado por estar em situação de inferioridade. No caso, ao ver um amigo ou colega adquirir o mais recente modelo de smartphone, o jovem chinês sente-se obrigado a comprar um igual - caso contrário, perde a face.

A terceira explicação também é cultural: a mídia eletrônica modificou fundamentalmente a escrita dos chineses. O teclado dos celulares ou dos computadores não poderia conter os 40 mil ideogramas do mandarim, por exemplo. Graças à transposição fonética dos ideogramas ancestrais em letras do alfabeto, os jovens apressados não precisam mais perder tempo traçando signos de sete até 20 traços. Assim, digitando nos celulares ou no teclado dos computadores, a garotada inventou uma linguagem nova, desvinculada do chinês tradicional, e criou espaços de liberdade que permitem desafiar todos os poderes. Isto explica tantas cabeças baixas e olhos fixos nas telinhas que são vistas nos transportes coletivos, nas ruas, nos prédios públicos - em suma, no cotidiano da China, o novo palco do show digital.

FONTE: O Globo, 13 de dezembro de 2010

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Google lança loja virtual de livros

Ontem, oficialmente, o Google começou a vender livros digitais. O serviço está apenas disponível nos Estados Unidos e concorrerá com a Amazon e a Apple. Com o lançamento da Google eBookstore, o Google acaba de marcar sua entrada na área de comércio eletrônico de e-books. A recém lançada loja virtual já conta com um acervo com mais de três milhões de títulos, incluindo vários best-sellers, por uma média de preço de US$10 e US$15.

Google eBooks, nome dado a livraria digital, conta com 3 milhões de títulos, incluindo best-sellers, obras recém lançadas e as mais antigas também. A intenção do Google é que a eBookstore seja fácil de acessar em qualquer dispositivo, como aparelhos baseados em Android e iOS que em breve, de acordo com a diretoria da empresa, receberão seus aplicativos. Além disso, os livros adquiridos podem ser lidos no Nook, da Barnes & Noble e no Sony Reader através da plataforma da Adobe, conforme o Digital Trends.

Aos consumidores interessados, estes podem armazenar seus livros em uma biblioteca online pessoal administrada pelo Google e poderão ler seus livros em qualquer parelho. Conforme disse o diretor de engenharia da equipe Google Books, James Crawford "Sua biblioteca inteira estará disponível a qualquer momento; em qualquer aparelho, seus livros estarão lá".

Atualmente quem domina o mercado de livros eletrônicos é a Amazon, esta que colaborou na criação de um mercado com o lançamento do leitor digital Kindle no ano de 2007. A Amazon controla aproximadamente dois terços do mercado nas vendas de livros dos Estados Unidos. No início deste ano a Apple também entrou no mercado de livros eletrônicos, porém, só podem ser lidos em seu tablet, o iPad.

FONTE: Oficina da Net, Publicado em: 7 de dezembro de 2010

Uma ótima refelexão!

domingo, 5 de dezembro de 2010

Facebook ganhará nova aparência nesta segunda-feira

Mudanças serão exibidas neste domingo em programa americano de televisão.

Uma versão reformulada da aparência do Facebook estreia nesta segunda-feira. Mark Zuckerberg, CEO da rede social, concedeu uma entrevista ao programa de televisão americano 60 Minutes para falar das mudanças e do rumo da empresa.

A versão completa do programa será exibida na noite deste domingo e alguns trechos já estão disponíveis no site do canal CBS de televisão. No novo design, as fotos ganham destaque no nas páginas de perfil, ficando logo abaixo do nome do usuário. Além disso, a página fica mais limpa.

Gêmeas siamesas são separadas em SP

Hoje a capa da Folha de São Paulo está emocionante...
Trás a foto de duas gêmeas siamesas mamando.
O olhar delas é cativante...
Elas já têm 10 meses de idade!
Imaginem que loucura viver grudada por tanto tempo, compartilhando alguns órgãos.
E agora, elas se recuperam de uma longa cirurgia que separou as duas.
O depoimento da mãe também foi emocionante.

Vale a pena conferir, no site da Folha.

sábado, 4 de dezembro de 2010

Wii: Novo jogo de "Guerra dos Sexos"



Pros aficionados por vídeo-games, acho que esta novidade é divertida.


Gostei do Wii, embora só tenha experimentado o do meu sobrinho.

Que venham mais e mais jogos interessantes por aí...


A dica foi do O Globo, caderno Digital & Midia. Clique no link e vá para a eportagem original.

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

Dia Mundial de Luta Contra a Aids 2010



No dia 1° de dezembro, vários países comemoram o Dia Mundial de Luta Contra a Aids. Essa data foi instituída como forma de despertar a necessidade da prevenção, promover o entendimento sobre a pandemia e incentivar a análise sobre a aids pela sociedade e órgãos públicos. No Brasil, a data começou a ser comemorada no final dos anos 1980, envolvendo os governos federal, estaduais, distrital e municipais e organizações sociais.

Este ano, a campanha do Dia Mundial tem como público primordial os jovens de 15 a 24 anos. Essa escolha foi feita ao se levarem em consideração dados comportamentais como o maior número de parceiros casuais dos jovens em relação aos não-jovens e o elevado índice de jovens (40%) que declaram não usar preservativo em todas as relações sexuais.

Os objetivos da campanha são desconstrução do preconceito sobre as pessoas vivendo com HIV/aids e a conscientização dos jovens sobre comportamentos seguros de prevenção. Para isso, o tema da campanha será: “O preconceito como aspecto de vulnerabilidade ao HIV/aids”.

Confira notícias e eventos sobre o Dia Mundial de Luta Contra a Aids 2010.


Uma campanha do Ministério da Saúde.

Supervírus que ataca computadores preocupa serviços secretos

O stuxnet pode agir por conta própria ou sob ordens de um operador à distância. Ele estaria nas mãos de terroristas, que podem usá-lo para sabotar sistemas como o do programa nuclear do Irã.

Um supervírus de computador pôs em alerta os serviços secretos de vários países. Há informações de que ele já estaria em poder de terroristas.

Nem mísseis, nem ogivas atômicas. A nova arma que preocupa o planeta é invisível, fácil de ser transportada e tem um poder de destruição incalculável. É o stuxnet, um supervírus de computador.

Segundo um ex-agente britânico, o supervírus pode agir por conta própria ou sob as ordens de um operador à distância: pode assumir o controle de fábricas, usinas elétricas, arsenais militares.
De acordo com o Serviço Secreto Britânico, o stuxnet teria sido criado por algum governo como arma de defesa. Os agentes acreditam que foi usado pela primeira vez contra o programa nuclear do Irã, pra retardar o início do enriquecimento de urânio. O problema é que o vírus teria caído nas mãos de terroristas.

Quem adquiriu o supervírus obviamente não está bem intencionado, afirma um especialista em informática. Talvez queira fazer chantagem em troca de dinheiro. Ou pior: usar o vírus pra sabotar sistemas.

No Congresso Americano, o diretor de Segurança de Informática dos Estados Unidos, Sean McGurk, exibiu um pendrive, dispositivo usado pra transferir arquivos entre computadores. ''Aqui dentro tem um stuxnet. Qualquer terrorista pode transportar sem ser notado”, disse ele.

O Governo Britânico investe o equivalente a R$ 1,5 bilhão por ano pra tentar vencer a guerra cibernética. O objetivo é criar um superantivirus e também manter o stuxnet longe da internet. Pelo menos, por enquanto, ele só infecta sistemas operacionais Windows por meio de pendrives, CDs e cabos.

FONTE: Jornal Nacional, 30 de novembro de 2010. Clique aqui e evja o vídeo e a notícia na fonte.

terça-feira, 16 de novembro de 2010

Tablets devem "matar" netbooks


Uma nova geração de dispositivos móveis lançada no primeiro semestre de 2010 promete modificar a maneira pela qual as pessoas vão se informar, trabalhar e, é claro, divertir. Desde abril, os tablets vêm, pouco a pouco, se tornando o novo sonho de consumo dos que buscam unir os recursos de um computador à praticidade de smartphones. O iPad, tablet da Apple, é o maior símbolo desse novo reinado de telas sensíveis ao toque que, a partir de pequenos movimentos dos dedos, permite navegar por sites, blogs, livros, fotos e vídeos.

Em menos de três meses de vida, foram três milhões de unidades vendidas. Em 2011, analistas apontam que as vendas baterão em 48 milhões de dispositivos. “Chegamos a 1 milhão de iPads em apenas 28 dias; o iPhone só alcançou tal índice em 74 dias”, disse Steve Jobs, comemorando o próprio feito. O crescimento vertiginoso e invejável do dispositivo já permite discutir a hipótese de que os tablets podem provocar a extinção dos netbooks, aparelhos com menos recursos e telas de no máximo 12 polegadas, voltados apenas para lazer e navegação na internet e que debutaram no Brasil em 2007.

Vida em Rede conversou com Angela McIntyre, analista da empresa de pesquisa Gartner e diretora do Client Computing Markets, para entender a dinâmica do mercado e os novos gostos dos consumidores. Diz a pesquisadora: “O mercado de netbooks terá uma redução de vendas paulatina – em 2012, estimamos cerca de 5%. Nos próximos anos, a venda desses aparelhos será menor em relação aos notebooks, por exemplo. E um dos culpados pela mudança são dispositivos como o iPad”, explica. “Além disso, já existem empresas que pararam de criar modelos de netbooks”, finaliza.

Para Angela, empresas como HP, Dell e Acer, que priorizaram a criação de netbooks, já disponibilizam seus próprios tablets – levantando a suspeita de que os netbooks perderam o ar de novidade e, no momento, o que se busca é um dispositivo que ocupe, de forma decente, o espaço entre smartphones e notebooks. E os tablets começam a seguir neste caminho, na direção de desempenhar tarefas leves e triviais.

Foto: Getty Images.

Fonte: Veja

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Uma mão lava a outra

Tem criança em casa? Este vídeo é bem bacaninha para estimular a criançada a lavar as mãos.

terça-feira, 19 de outubro de 2010

Foto no Facebook ajuda pediatra a diagnosticar menina com câncer


Nicola Sharp notou coloração diferente no olho da criança.
Descoberta impediu que tumor se espalhasse pelo corpo.

Uma menina de 2 anos e meio foi diagnosticada com câncer no olho depois que uma amiga da família notou um sinal estranho em uma foto publicada no Facebook. Segundo o site Daily Mail, a pediatra e amiga da família, Nicola Sharp, descobriu a condição de Grace Freeman enquanto navegava por fotos postadas na rede social.

Sharp notou que, em uma imagem, a pupila do olho direito de Grace mostrava uma coloração avermelhada, característica de fotos tiradas com flash. A pupila esquerda, porém, estava branca, o que indicava um possível sinal de câncer.

A amiga da família imediatamente notificou a mãe de Grace, e os médicos logo diagnosticaram a menina com “retinoblastoma”, um câncer que atinge a retina do olho e, se não tratado, pode levar a morte. Mesmo os médicos conseguindo curar o tumor antes que ele se espalhasse pelo resto do corpo, Grace perdeu toda a visão do seu olho esquerdo.

“Não tenho dúvida de que Nicola salvou a vida de Grace”, disse Michele Freeman, mãe da menina. “Não tínhamos nenhum sinal de que Grace tinha algum problema nos olhos. A gente nunca teria descoberto sem Nicola”, completou.

FONTE DESTA NOTÍCIA: G1, em 18 de outubro de 2010

domingo, 10 de outubro de 2010

Homenagem ao dia das crianças (1)

Para lembrar um pouco da criança que existe dentro de cada um de nós...
Uma animação infantil.
Feliz Dia das Crianças!

O amor não tem idade!


Elegi esta foto como "a foto do dia".


Um casal mais do que especial subiu ao altar: ele com 84 anos e ela com 91!

Acha muito? Tem outro fato ainda mais curioso: ele entrou na igreja de braços dados com sua mãe, de 104 anos!

E ainda: ela não aceitou que o casal morasse junto sem se casar.

Nunca é tarde para ser feliz...

sábado, 9 de outubro de 2010

Vacinação Contra Hepatite B para Adolescentes

Campanha de Intensificação da Vacinação contra Hepatite B em adolescentes de 11 a 19 anos


O Município do Rio de Janeiro está realizando a Campanha de Intensificação da Vacinação contra Hepatite B para o grupo de adolescentes de 11 a 19 anos de idade.

Para proteção completa a vacina deve ser administrada em 3 etapas:

1a dose - Setembro/2010

2a dose - Outubro/2010

3a dose - Março/2011

A vacinação vem sendo realizada em todos os Postos de Saúde do Município de 8 às 17 horas.

Compareça aos postos de saúde, leve sua caderneta de vacinação e proteja-se contra Hepatite B.

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

AIDPI Neonatal por teleconferência

O Amazonas é o primeiro estado brasileiro a realizar o curso de formação em Atenção Integrada às Doenças Prevalentes na Infância (AIDPI) – Neonatal por teleconferência. (...)

Além da economia de recursos, o curso por teleconferência permite resolver o problema da indisponibilidade de tempo de médicos e enfermeiros, que nem sempre podem deixar seus postos de trabalho durante toda uma semana para se dedicar à formação.

Os profissionais assistem às aulas nos chamados polos de telemedicina, localizados dentro das Unidades Básicas de Saúde (UBS) dos municípios. As UBS, por sua vez, foram equipadas com pontos de Televisão por Protocolo de Internet (IPTV), sigla em inglês para Internet Protocol Television. Esta é uma tecnologia de transmissão de sinais para aparelhos de televisão digitais e outros meios, que funciona pela junção de serviços de televisão com internet banda larga.

A estratégia do AIDPI Neonatal é direcionada a crianças de zero a dois meses de idade. Ela permite ao profissional de saúde fazer o atendimento de recém-nascidos a partir de sinais clínicos já protocolados, identificando e classificando sinais de risco. Estima-se que entre 30% e 40% das mortes em crianças menores de dois meses ocorra por causas evitáveis. A estratégia da AIDPI Neonatal permite que o profissional identifique esses sinais a tempo de salvar os recém-nascidos, contribuindo para a redução da taxa de mortalidade infantil.

Para o coordenador da estratégia do AIDPI Neonatal no Amazonas, Alexandre Lopes Miralha, a interação de todos os profissionais envolvidos tem sido um dos fatores mais positivos para o sucesso da formação por teleconferência. “Aproveitamos uma tecnologia que já existe para que a informação que temos chegue aos médicos e enfermeiros de forma rápida e barata”, disse.

A tecnologia permitiu que o conhecimento chegasse ainda mais longe. “Aconteceu, inclusive, de termos a participação de um navio das Forças Armadas brasileiras ancorado próximo à costa da Colômbia, que pegou a transmissão. Assim, militares e profissionais de saúde que estavam a bordo puderam aproveitar os ensinamentos”, contou Miralha, entusiasmado. (...)

FONTE: Ministério da Saúde. Para ler a reportagem completa clique aqui.

Dia das Crianças!: Abra os olhos pra cegueira infantil

No dia 12 de outubro , Dia da Criança, o Projeto Luz vai realizar uma campanha valorizando a linda paisagem da Baia da Guanabara tendo ao fundo o morro do Pão de Açucar.

“A vista é linda... para quem enxerga – Exija o Teste do Olhinho para o seu filho”.

Nesta campanha, participarão voluntários do Projeto Luz e alunos de Medicina da Universidade Federal do Rio de Janeiro, da Unigranrio e do Instituto Brasileiro de Medicina e Reabilitação.

Vamos distribuir folhetos explicativos sobre o exame, bonés e camisetas.

O Teste do Olhinho (Pesquisa do Reflexo Vermelho) será também realizado gratuitamente em crianças.

Não sabe a importância dele?

Olhe a "Caderneta de Saúde da Criança" de seu filho e exija este direito!

Esta caderneta do Ministério da Saúde é adotada em todos os muncípios basileiros.

Parcerias:

Projeto Luz
www.acd.ufrj.br/projetoluz


IBMR/ Laureatea International Universities
http://www.ibmr.br/



SDA Gestão de Recursos


Junte-se a nós e vista a camisa do combate à cegueira infantil!
Quem sabe você não dá A VISÃO de presente do dia das crianças?
Seja quem for, esta criança vai adorar te ver por lá!!!
E nós também!


Dia 12, a de 9-9:30 às 12h, no Aterro do Flamengo, no "obelisco" (Monumento Estácio de Sá): este da foto!

COBEM 2010 - Está chegando!


Está chegando o Congresso Brasileiro de Educação Médica 2010!

Será em Goiânia (GO), no final de outubro.

O tema oficial é “Uma Escola para o SUS: O lugar da Educação Médica no Sistema de Saúde Brasileiro”.

A proposta deste congresso é promover discussão tanto de aspectos específicos da Educação Médica, quanto de aspectos da política de Saúde Pública, com importante enfoque na parceria ensino-serviço, através dos cenários oferecidos pelas secretarias municipais e estaduais de Saúde.

Para saber mais e se inscrever, clique aqui e migre para o site oficial.

quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Doe órgãos. Doe vida.


Linda, a campanha de doação de órgãos do Ministério da Saúde.
O vídeo é emocionante!
Clique na figura para conhecer a página...

"Boa notícia"! Uma boa idéia da Record.

Quase nem tenho vontade mais de ligar a TV quando chego em casa.
Já é comum entre nós a frase: "só tem notícia ruim..."
Mas no Jornal da Record, que assisti há pouco quase por acaso, tem uma seção chamada "boa notícia".
Hoje apresentaram o "happy end" da história de Rafael, um menino de 19 anos que, como muito outros, sonha em jogar futebol e fazer faculdade. Mas nasceu com bronquiectasias e estava condenado à morte caso não fizesse um transplante de pulmão.
A falta de doador foi resolvida com um telefonema às 8h da manhã do dia 14 de setembro.
Precisava chegar ao Incor (em SP) em 2 horas. Após 40 minutos estava pouco distante de casa (trânsito de SP, gente! Imaginem....)
Então, um helicóptero de resgate foi em busca do Rafael que hoje está transplantado, fora da UTI, respirando sem aparelhos e conversando normalmente.
O que ele vai fazer depois?: jogar futebol!
Gol do Rafael!
Gol de todos os envolvidos neste processo.
Gol da Record!
Precisamos de mais notícias assim.
Ainda não encontrei o vídeo de hoje na internet, mas achei o do dia do transplante.

Para assistir clique aqui e migre para o site da Record.

Assim que encontrar o 2o completo a história por aqui...

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

CAMPANHA TESTE DO OLHINHO!


Atenção!

A campanha do Teste do Olhinho não deve ser no acesso ao bondinho.
Provavelmente será no aterro do Flamengo, mas com vista para o Pão de Açúcar.
Estarei em breve divulgando mais detalhes por aqui!
Junte-se a nós!!!

OBS_ Clique no link acima para informações sobre Teste do Olhinho, pela Sociedade Brasileira de Oftalmologia Pediátrica.

domingo, 26 de setembro de 2010

A VISTA É LINDA... PARA QUEM ENXERGA

Exija o Teste do Olhinho nos Recém-Nascidos

Nos últimos anos, o Projeto Luz, um programa de prevenção da cegueira infantil pela Catarata Congênita criado e coordenado pelo Dr. Luciano Gonçalves -- professor adjunto de Oftalmologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro -- realiza campanhas para alertar os pais sobre a importância de se fazer o diagnóstico precoce da Catarata Congênita. Esta doença congênita pode causar grave deficiência visual se não for detectada ainda na maternidade.

Já foram realizadas campanhas de conscientização no Maracanã (Drible a cegueira infantil - Exija o Teste do Olhinho ), no Jardim Zoológico (Fuja do mico - Exija o Teste do Olhinho), no Aeroporto Santos Dumont (Embarque nesta idéia – Exija o Teste do Olhinho) e na Praia de Ipanema (Não deixe que o azul do mar fique só na imaginação do seu filho - Exija o Teste do Olhinho), entre muitas outras.

Este ano, no dia 12 de outubro, Dia da Criança, o Projeto Luz pensou em realizar a campanha valorizando a linda paisagem da Cidade do Rio de Janeiro vista do alto do Pão de Açúcar e do Morro da Urca. A participação de voluntários será muito bem-vinda.

“A vista é linda... para quem enxerga – Exija o Teste do Olhinho para o seu filho”.


Aguarde que, em breve, informações mais detalhadas estarão disponíveis neste blog!

Noites mal dormidas podem gerar ansiedade e depressão

Pesquisa diz que cada hora a menos de sono aumenta a chance de desenvolver os distúrbios em 14%
por Redação Galileu

Se você dorme mal e anda ansioso ou depressivo, saiba que esses problemas podem ter ligação. Um estudo feito com quase 21 mil jovens australianos entre 17 e 24 anos mostrou que a falta de sono adequado pode levar a várias formas de ansiedade.

O risco aumenta 14% a cada hora a menos de sono, tendo como base as oito horas que os especialistas recomendam. Quem dorme seis horas por noite tem duas vezes mais propensão a desenvolver estes problemas do que quem dorme oito horas, segundo a pesquisa.

pesquisa, publicada na revista SLEEP, encontrou a mesma relação em pessoas que já sofrem de algum grau de depressão ou ansiedade. Cada hora a menos de cama aumenta em 5% a chance da pessoa continuar com o problema psicológico por mais um ano. Nenhuma relação foi encontrada com pessoas que dormem até nove horas por noite.

>> Quem dorme até tarde não é vagabundo

Os pesquisadores também descobriram que o risco de começar os problemas psicológicos foi maior naquelas pessoas que costumam dormir menos ainda. Quem passa apenas cinco horas na cama tem três vezes mais chances de desenvolver problemas. Mas quem dorme sete horas por noite e tem boa saúde mental parece não ser impactado por não ter as recomendadas oito horas de sono.

Os participantes do estudo da Universidade de Sidnei responderam a questionários sobre seu hábitos de sono e depois tiveram seu nível de estresse psicológico avaliado de acordo com a escala de Kessler, um método que pergunta sobre sentimentos de cansaço, nervosismo, falta de esperança, impaciência, depressão, tristeza e indiferença. Trinta por cento dos participantes dormiam de sete a oito horas, 18% dormiam menos de sete horas. Menos de 2% disse ter noites curtíssimas com menos de cinco horas.

Os pesquisadores descobriram que a relação entre falta de sono e problemas psicológicos é complexa porque também é possível que a falta de sono seja justamente um dos sintomas de ansiedade e depressão. Para eles, o aumento do estresse em jovens de várias regiões do mundo pode ter sido causado pelo estilo de vida que nos levou a dormir menos. E o aumento das horas de sono poderia ser proporcionado atrasando o horário de entrada nas escolas e – não comemore ainda – cortando as horas gastas em frente à TV, computador e videogame antes de dormir.

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Teste o Olhinho. Peça para ser feito em seu bebê!

Hoje foi um dia e tanto: foi muito gratificante ver a satisfação dos alunos de medicina da UNIGRANRIO fazendo Testes do Olhinho no Hospital Infantil, em Duque de Caxias.

É muito bom poder ajudar a fazer diferença.

O professor é movido a isto. Obrigada, queridos alunos, por este dia tão especial.

Aproveito para começar uma nova campanha, colocando este vídeo que achei no You Tube e que pode mostrar para quem não conhece, o que é e para que serve este teste.

O Teste do Olhinho (Teste do Reflexo Vermelho) é um exame simples que pode salvar a visão de uma criança.

Faça em seus pacientes.

Peça para o médico (pediatra, neonatologista ou oftalmologista) fazer em seu bebê.

E acompanhe os posts deste blog: em breve teremos divulgação da "Campanha da Página 12".

Mais uma campanha do Projeto Luz, pelo Teste do Olhinho.

Estaremos de novo com o querido prof Luciano Gonçalves, "botando o bloco na rua".

Junte-se a nós! Vista esta camisa!

terça-feira, 14 de setembro de 2010

Greve dos residentes parece ter chegado ao fim...

Brasília - Os médicos-residentes dos hospitais públicos do país, que estão em greve desde o dia 17 de agosto, receberam ao final da manhã de hoje (14) sinalização do Ministério da Educação de que terão sua bolsa auxílio reajustada em 22%, se encerrarem o movimento. Eles pediam correção de 38,7% sobre o que vinham recebendo (R$ 1.916,45), valor que teve o último reajuste no final de 2006, depois de outra greve que a categoria realizou.

O presidente da Associação Nacional dos Médicos-Residentes (ANMR), Nívio Moreira Júnior, informou, após reunião com a secretária de Educação Superior do MEC, Maria Paula Dallari, que recebeu "sinalização de que o percentual será aceito", e assim os residentes encerrarão a paralisação. Nívio vai encaminhar ainda hoje documento à Secretaria, com o compromisso de aceitação, depois que consultar a categoria nos estados.

No momento, segundo Nívio Moreira Júnior, pelo menos em 14 estados os médicos-residentes em greve concordam com o fim da paralisação, mediante o reajuste de 22%, que "corresponde mais ou menos à inflação dos últimos quatro anos". Os dias parados vão ser discutidos com o MEC, mas em outra ocasião, segundo Nívio.

FONTE: Agência Brasil

sábado, 11 de setembro de 2010

Médicos do Rio já têm fotos divulgadas em site do Cremerj


Desde a última sexta-feira, dia 10 de setembro, o CREMERJ está disponibilizando em seu site mais um mecanismo de segurança para evitar falsificações de documentos ou carimbos e resguardar os médicos que exercem a Medicina legalmente em todo o estado.

Agora, ao realizar uma pesquisa através do nome ou número do CRM na seção “Encontre um médico”, que aparece no topo da página inicial do site, a população tem acesso também à foto do médico.

Este sistema de busca é simples e, além de mostrar a foto, informa a situação atual de todos os médicos, inclusive se o registro dele é válido, se foi cassado ou transferido. Com esta medida, o CREMERJ espera ajudar na identificação de falsos médicos e também coibir o uso indevido de dados dos médicos por criminosos que exercem ilegalmente a profissão no Rio de Janeiro.

Dos 55 mil médicos registrados em todo o estado, o CREMERJ conta com 21 mil fotografias cadastradas no sistema. As imagens estão sendo recolhidas desde o início do processo de recadastramento dos médicos no Estado do Rio.

Contudo, os médicos que ainda não tiverem sua imagem no sistema poderão levar uma fotografia à sede, às subsedes ou às seccionais do CREMERJ para que ela seja escaneada na hora e incluída no cadastro. (...)

Leia mais no site do Cremerj.

Médicos residentes fazem assembleia no Rio para reavaliar a greve

FONTE: Agência Brasil
Publicação: 10/09/2010 15:55

"Rio de Janeiro - Quase um mês depois do início da greve nacional dos médicos residentes, a categoria realizou nesta quinta-feira (10/9) uma assembleia regional no Rio de Janeiro para reavaliar as negociações. Os trabalhadores esperam para a próxima semana o diálogo com o governo federal, anunciado recentemente pelo ministro da Saúde, José Gomes Temporão.

O Ministério da Saúde no Rio de Janeiro informou que a rede hospitalar federal, composta por seis hospitais no estado, não foi afetada pela greve. “Até o momento, a categoria demonstra preocupação em não prejudicar o funcionamento dos serviços, principalmente nas unidades que possuem atendimento de emergência. Manifestações pontuais têm ocorrido em uma ou outra unidade, sem, contudo, prejudicar o fluxo de atendimento à população, seja na assistência ambulatorial ou na realização dos procedimentos cirúrgicos”, informou o ministério.

De acordo com a presidente da Associação dos Médicos Residentes do Rio de Janeiro (AMRRJ), Beatriz Costa, existem no estado 4.620 médicos residentes e a maioria dos hospitais continua parada. “A greve começou no dia 17 de agosto. O ministro pediu para reabrir as negociações para a próxima semana. Reivindicamos a melhoria nas condições de insalubridade no trabalho, aumento de quatro para seis meses da licença-maternidade, e o reajuste da data base anual, porque a gente não tem reajuste na bolsa. Esse reajuste de 38,7% é uma defasagem, já que desde 2006 nós ganhamos R$ 6,57 a hora de trabalho”, afirmou.

Beatriz Costa observou ainda que, no âmbito estadual, as autoridades têm apoiado a greve, mas a categoria depende das decisões do governo federal que, segundo ela, tem tido “uma postura ditatorial, por não dialogar com os trabalhadores desde o início da greve”.

A Secretaria Estadual de Saúde do Rio informou, por meio da assessoria de comunicação, que não vai se posicionar em relação à greve, mas observou que, das unidades estaduais, apenas os hospitais Getúlio Vargas e Saracuruna contam com médicos residentes e, assim mesmo, em pequeno número. “Esses profissionais não paralisaram suas atividades em nenhum momento. Assim, o movimento não afetou em nada o atendimento nas unidades estaduais”, informou a secretaria estadual.

A Secretaria Municipal de Saúde informou que, nas unidades de competência, “o serviço à população não foi afetado, uma vez que os residentes representam mão de obra auxiliar nos plantões das unidades onde eles atuam”.

Ao todo são 22 mil médicos residentes no país, fazendo especialização e atuando na emergência, ambulatório, operações e enfermaria, entre outras atividades."

Pequena observação pessoal: Acho justa a manifestação dos residentes, mas dizer que o atendimento não foi afetado é brincadeira...
Várias pessoas tiveram suas consultas ambulatoriais desmarcadas.
Acho que nas reportagens a ética também deve ser mantida.

domingo, 5 de setembro de 2010

Dia 05/09: dia nacional de divulgação da Fibrose Cística

Mais um dia 05 de Setembro chegou. O dia em que todos nós, Pessoas de Fibra, devemos nos unir em prol da Divulgação e da Conscientização desta doença que com certeza ainda precisa ser muito conhecida pela sociedade Brasileira e Mundial. Faça sua parte. Participe desta corrente do bem. Envie por e-mail para seus amigos os principais sintomas e peça para que eles façam o mesmo. Divulgue o site do Unidos pela Vida, pois aqui é possível encontrar informações de todas as Associações e Centros de Referência do Brasil.

Ajude. Divulgue. VIVA.

FONTE: UNIDOS PELA VIDA.

Conheça melhor esta doença visitando também o site do Grupo Brasileiro de Estudos da Fibrose Cística (GBEFC).

domingo, 29 de agosto de 2010

Exercício ilegal da medicina por estudantes é manchete do O Globo de hoje


Manhã de domingo: hora de ler o jornal...
É triste ver esta manchete...
Tudo ao contrário do que nós, sérios médicos e educadores, sonhamos para nossos alunos.
Isto é uma vergonha!
Temos que combater esta irresponsabilidade e falta de ética com a humanidade.

Se quiser ler a reportagem do O Globo clique neste link:

"Polícia investiga aliciamento de estudantes, por médicos, para atender pacientes"

Vamos divulgar e ajudar a combater este crime.

Eles também fizeram um vídeo entrevistando estudantes de medicina, que revelam o que ocorre nos plantões.

terça-feira, 24 de agosto de 2010

Simpósio sobre Fibrose Cística



I Simpósio IOC de Fibrose Cística
Resumo da fibrose cística, triagem neonatal e os avanços nas terapias eficazes CFTR.
Instituição: IOC/Fiocruz
Local: Instituto Oswaldo Cruz - Auditório Emmanuel Dias, Pavilhão Arthur Neiva. Av. Brasil, 4365.

Dia: 31/08/2010.De 8h30 às 16h30.

As inscrições podem ser feitas no local.

quarta-feira, 18 de agosto de 2010

Alerta:Sarampo em Porto Alegre!

Prefeitura de Porto Alegre confirma dois casos suspeitos de sarampo

Vacina está disponível nos postos para mulheres entre um ano e 49 anos e homens entre um ano e 39 anos

A prefeitura de Porto Alegre confirmou na manhã de hoje dois casos de sarampo. Os pacientes retornaram de viagem a Buenos Aires.

A confirmação reforça a necessidade de vacinação. A dose está disponível nos postos para mulheres entre um ano e 49 anos e homens entre um ano e 39 anos.

A vacina é recomendada principalmente para profissionais da área da saúde, educação, turismo, transporte, hotelaria, e pessoas que vão viajar para área com circulação de vírus de sarampo ou rubéola.

FONTE: Zero Hora, 18/08/2010

domingo, 15 de agosto de 2010

Programação da II Jornada de Pediatria do Hospital Federal de Bonsucesso

1º DIA

7:30 às 8:00h INSCRIÇÕES E ENTREGA DE MATERIAL

8:00 as 9:00h ABERTURA

8:00 às 8:20h MESA DE ABERTURA


Convidados:
Diretora Geral - Sandra Azevedo
Diretor do Corpo Clínico – Baltazar de Araújo Fernandes
Coordenador do Centro de Atenção à Saúde da Mulher, Criança e Adolescente - Moyses Rechtmann
Chefia da Pediatria - Ivany Yparraguirre

8:20 às 8:30 APRESENTAÇÃO DA POLÍTICA DE HUMANIZAÇÃO
NO HFB

Coordenador do GT de Humanização do HFB –
Moyses Rechtmann

8:30 às 9:00 ATUAÇÃO DO GRUPO RODA GIGANTE ((Doutores Palhaços) NO RJ

Projeto Roda Gigante – Doutores Palhaços

9:00 as 10:30h MESA REDONDA - PNEUMONIA DE REPETIÇÃO
Moderadora: Pneumologista – Mônica Firmida

9:00 às 9:10h Apresentação de Caso Clínico
Residente - Gisele Vilela

9:10 às 10:30h Visão da Equipe Multidisciplinar:

9:10 às 9:30h - Pneumologista – Patrícia Barreto
9:30 às 9:45h - Cardiologista – Maria de Fátima Leite
9:45 às 10:00h - Fisioterapeuta – André Augusto Rebello
10:00 às 10:30h Perguntas

10:30 às 10:45h INTERVALO

10:45 às 12:15h MESA REDONDA – CONSTIPAÇÃO INTESTINAL
Moderador: Pediatra – Gustavo Sobral da Silva

10:45 às 10:55h Apresentação de Caso Clínico
Residente – Bruna Gomes Ferro Costa

10:55 às 11:45h Visão da Equipe Multidisciplinar

10:55 às 11:15h - Gastroenterologia – Verônica Santos de Oliveira
11:15 às 11:30h - Cirurgia Pediátrica – Márcia Abrunhosa Matias
11:30 às 11:45h - Nutrição – Fernanda Facioli Fernandes
11:45 às 12:15h - Perguntas


12:15 às 13:30h ALMOÇO - LUNCH BOX –

PALESTRA: IMUNIZAÇÃO DA CRIANÇA COM DOENÇA CRÔNICA
Pediatra - Tânia Petraglia – Coordenadora Técnica do Centro de Referência de Imunobiológicos Especiais ( CRIE )


13:30 as 15:00h EXPERIÊNCIA DO HFB EM TRANSPLANTE HEPÁTICO – DO PRÉ AO PÓS TRANSPLANTE
Moderadora: Gastroenterologista - Verônica Santos de Oliveira

13:30 às 13:50h Pré- Transplante – Gastroenterologista Giuseppe Santalúcia
13:50 às 14:10h Pós- Transplante - Gastroenterologista Márcia A. Valladares
14:10 às 14:30h Intervenção da Equipe Multidisciplinar – Enfermeira - Cristina Araújo
14:30 às 15:00h Perguntas


15:00 as 15:15h INTERVALO


15:15 às 16:45h EXPERIÊNCIA DO HFB EM TRANSPLANTE RENAL –
DO PRÉ AO PÓS TRANSPLANTE
Moderador: Nefrologista - Carlos Augusto Moraes

15:15 às 15:35h Nefrologista: Regina Helena Novaes
15:35 às 15:55h Nefrologista: José Augusto Araújo Montalvão
15:55 às 16:15h Intervenção da Equipe Multidisciplinar – Assistente Social - Vanda Regina Briggs
16:15 às 16:45 Perguntas


17:00h Coquetel de Abertura da Jornada


2º DIA

8:00 às 12:00h ABORDAGEM INTERDISCIPLINAR FRENTE À CRIANÇA E AO ADOLESCENTE EM SITUAÇÃO DE RISCO DE VIOLÊNCIA.

8:00 ÀS 9:00h PALESTRA: A VISÃO DO PEDIATRA
Pediatra – Márcio Godinho

9:00 ÀS 10:00h MESA REDONDA: EXPERIÊNCIA DO HFB
Moderadora: Pediatra – Maria da Graça Soares

9:00 às 9:40h Apresentação de casos clínicos de crianças e adolescentes internados na enfermaria pediátrica com histórico de dependência química familiar: intervenção da equipe interdisciplinar

9:00 às 9:20h Assistente Social - Márcia Azevedo
9:20 às 9:40h Psicóloga - Débora Regadas

9:40 às 10:00h Apresentação de Proposta de Fluxo de Cuidados ao Paciente Pediátrico Internado no HFB sob Risco de Violência

Coordenador do Centro de Atenção à Saúde da Mulher, da Criança e do adolescente do HFB - Moysés Rechtman

10:00 ÀS 10:15H INTERVALO

10:15 À 12:00H: COLÓQUIO COM CONVIDADOS
Moderadora: Médica de Adolescentes – Rosângela Magalhães

TEMA: SAÚDE MENTAL/ ÁLCOOL E DROGAS: POLÍTICA, INTERVENÇÃO, REDE DE PROTEÇÃO E ASPECTOS LEGAIS.
Convidados:

Pediatra - Antônio Albernaz
Assessor de Saúde Mental da Área Técnica de Álcool e Outras Drogas da SMSDC-RJ - Sérgio Alarcon
Promotora da Infância e Juventude - Patrícia Hauer


12:00 às 13:30h ALMOÇO – LUNCH BOX

1 - WORK SHOP - VENTILAÇÃO NÃO-INVASIVA
Fisioterapeuta – José Maria Gonçalves Neto
Anfiteatro da Ginecologia – Prédio 2 – 2º. andar
30 vagas limitadas para médicos, fisioterapeutas e enfermeiros – Inscrições na FASEB

2- ATIVIDADES HUMANIZADAS DESENVOLVIDAS NO HFB
Moderadora: Coordenadora do GT de Humanização do HFB – Maria Lúcia Quinta
Anfiteatro da Maternidade – Prédio 2 – 6º. Andar

12:00 às 12:20h Classe Hospitalar – Professoras – Andréa Belarmino de Carvalho Abel Pinto e Mônica Cristina Santos Moreira
12:20 às 12:40h Brinquedoteca – T.O. – Renata Sardenberg
12:40 às 13:00h CAC VOL – Luciana Moreira Eufrázio ( Técnica em Assuntos Educacionais) e Eugenia Santana de Oliveira Santos (Auxiliar Técnico )
13:00 às 13:30h Perguntas


13:30 às 15:00h MESA REDONDA: CETOACIDOSE
Moderadora: Pediatra – Vera Lúcia Tavares Romay

13:30 às 13:40h - Apresentação de Caso Clínico
Residente: Alan Praxedes

13:40 às 14:40h - Visão da Equipe Multidisciplinar

13:40 às 14:00h - Endocrinologista – Marilena Cordeiro
14:00 às 14:20h - Enfermeira – Patrícia Feitosa
14:20 às 14:40h - Psicóloga – Luciana Pinto - Programa de Diabetes do HFB
14:40 às 15:10h Perguntas

15:10 as 15:30h - INTERVALO

15:30 as 17:00h - MESA REDONDA: ATENDIMENTO À CRIANÇA COM SUSPEITA DE CÂNCER
Moderadora : Pediatra - Patrícia Correia

15:30 às 15:40h - Apresentação de Caso Clínico
Residente: Marcela Pimenta

15:40 às 16:00h - Experiência de um Hospital Geral: HFB
Assistente Social: Márcia Azevedo
16:00 às 16:30h - Apresentação da Iniciativa Unidos pela Cura
Gerente de Saúde do Município da Criança e do Adolescente: Martha Vilela
16:30 às 17:00h Perguntas

17:00H – ENCERRAMENTO
Programação de Oficinas que ocorrerão com a Comunidade
Local: Praça da Liberdade
Vagas Limitadas
Inscrições: CACVOL
Realização: Equipe CACVOL, Voluntários, Grupo Roda Gigante e Dra. Maria de Fátima Leite.

1ª Oficina (26/08/10 às 10h):
Tema: “Cuidados Paliativos”

Público-alvo: 30 a 40 adultos e adolescentes da comunidade (grupo único)
Ações: apresentação do Grupo Roda Gigante (Doutores Palhaços); distribuição de textos informativos e bate-papo; dinâmica do acróstico; distribuição de brindes (imã de geladeira em formato de coração, com dizeres).

2ª Oficina (26/08/10 às 14h):
Tema: “Diabetes: Ele vai te pegar? Diabetes + Obesidade = Diabesidade”


Público-alvo: 30 a 40 adultos e adolescentes da comunidade (grupo único)
Ações: jogo da memória; distribuição de textos informativos e bate-papo; distribuição de brindes (barra de cereal diet)

3ª Oficina (27/08/10 às 10h):
Tema: “Negligência Infantil e Acidentes Domésticos”


Público-alvo: 30 a 40 adultos e adolescentes da comunidade (grupo 1) e crianças da comunidade (grupo 2)
Ações:
Grupo 1 – distribuição de texto informativo e debate; dinâmicas (da sensibilidade, da ajuda mútua); distribuição de brindes (livreto do ECA, livreto da família e muda de planta).
Grupo 2 – jogo da trilha (crianças maiores); contação de histórias (crianças menores); distribuição de brindes (Revista Sesinho).
O tema “Negligência Contra Crianças e Adolescentes” será abordado de maneira mais ampla com o grupo 1 (adultos e adolescentes), enquanto que os cuidados para evitar acidentes domésticos serão apresentados de maneira mais específica ao grupo 2 (crianças), através de atividades lúdicas.

4ª Oficina (27/08/10 às 14h):
Tema: “Impactos do Uso de Drogas Durante a Gestação”


Público-alvo: 30 a 40 adultos e adolescentes da comunidade (grupo único)
Ações: palestra (a confirmar); distribuição de textos informativos; distribuição de brindes (livros, marcadores de livro e panfletos da Secretaria Municipal de Dependência Química do RJ).
* Confecção das lembranças para a mesa de abertura (porta-trecos de papelão com canetas e bloquinho)
Brindes: revistas, gibis, lápis de cor, lembranças confeccionadas etc.

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

sexta-feira, 6 de agosto de 2010

Um vídeo sobre William Osler (em inglês)

Tesouro de Sir Willian Osler

As histórias e as frases de Sir Willian Osler são encantamentos para os apaixonados pela medicina.

Este médico e educador canadense viveu de 1849 a 1919 e seu trabalho marcou a medicina para sempre.

Ele escreveu muitos livros, mas tem um especialmente famoso, um tratado de medicina, chamado "The Principles and Practices of Medicine", cuja primeira edição foi pubicada em 1892.

Hoje, buscando livros de William Osler na internet, eu achei esta preciosidade.

Este livro escaneado na íntegra!

Podemos navegar por ele como se estivéssemos manuseando-o: consultar o index, selecionar a página e etc.

A versão que eu achei foi da 4a edição, publicada em 1901.

Li uns trechos sobre tuberculose pulmonar... é incrível ver o que ele já percebia naquela época.

Eu, que sou uma apaixonada por História da Medicina e por Educação Médica, achei fantástico!

Resolvi, então, compartilhar aqui com quem mais se interessar.

Espero que gostem e que deixem comentários.

Quer visitar? Clique na imagem abaixo.


quarta-feira, 4 de agosto de 2010

Evento sobre Febre Reumática


Programação do Evento

8:30 – 9:00h – Boas-vindas / Distribuição do Material

9:00h – Abertura oficial – representantes da SOPERJ / Programa PREFERE / SES / SMS

9:20 – 10:30h – Mesa Redonda: FEBRE REUMÁTICA: CENÁRIO ATUAL!
Coordenação: Dra. Andrea Valentim Goldenzon / Dra. Martha Andrade Vilela e Silva

9:20 – 9:40h – Epidemiologia da Febre Reumática – ainda um problema de saúde pública?
Dra. Cláudia Maria da Silva Costa
9:40 – 10:00h – Faringoamigdalite Estreptocócica
Dra. Mônica de Cássia Firmida
10:00 – 10:20h – Febre Reumática: Diagnóstico – revisitando os Critérios de Jones!
Dra. Kátia Lino Baptista Mourille Rocha

10:20 – 10:40h – Discussão

10:40 – 11:00h –Intervalo

11:00 – 12:30h – Mesa Redonda: COMO EVITAR AS SEQUELAS DA FEBRE REUMÁTICA?
Coordenação: Dra. Neusa Maria de Barros / Dra. Maria de Fátima Monteiro Leite

11:00 – 11:20h – Cardite Reumática – o desafio do diagnóstico e do tratamento!
Dra. Márcia Fernanda Costa Carvalho
11:20 – 11:40h – Profilaxia Primária e Secundária da Febre Reumática
Dra. Sheila Knupp Feitosa de Oliveira
11:40 – 12:00h – Alergia a medicamentos
Dra. Norma Rubini
12:00 – 12:10h - Diretrizes Brasileiras para o Diagnóstico, Tratamento e Prevenção da Febre
Reumática
Dra. Regina Müller

12:10 – 12:40h – Discussão

12:40h – Encerramento

Quer participar?


Envie e-mail com nome, instituição e telefone de contato para: secretariasoperj@ism.com.br ou
prefere@gmail.com

Maiores informações com Secretária Carla – Programa PREFERE – Tel. 3037-2175

Organização:
Grupo de Trabalho em Febre Reumática –SOPERJ
Programa PREFERE – INC – MS

Apoio:
Serviço de Pediatria do Hospital dos Servidores do Estado
Programa de Saúde da Criança da SES -RJ – PAISMCA
Secretaria Municipal de Saúde - RJ

quarta-feira, 21 de julho de 2010

Kindle vende mais que livros de papel, avisa Amazon

Nesta semana, a Amazon anunciou que as vendas de seu leitor eletrônico Kindle triplicaram desde a queda de preço, de US$ 259 para US$ 189, no fim de julho. Com o preço mais baixo, a loja online vendeu mais e-books do que livros impressos nos últimos três meses.

Ainda sem dar dados precisos sobre as vendas do Kindle, a Amazon avisa em comunicado enviado à imprensa que o leitor digital continua no topo da lista dos artigos mais vendidos da loja virtual há dois anos. Na próxima quinta-feira, a Amazon divulga os resultados do segundo trimestre do ano, após o fechamento do pregão em Wall Street.

As vendas do Kindle, informa a Amazon, seguem em uma escala crescente. Em paralelo, as vendas de livros no formato tradicional continuam em alta. Jeff Bezos, executivo-chefe e fundador da Amazon, informa: “Conseguimos um ponto de não retorno com o novo preço do Kindle”. Ele entende, no entanto, como assobrosa a superação nas vendas do e-book aos livros impressos, já que a companhia vende livros há 15 anos, mas trabalha com o leitor digital há “apenas 33 meses”.

No último trimestre, para cada 100 livros em formato tradicional vendidos pela Amazon, foram 143 eletrônicos. O número aumenta em junho, quando para cada 100 impressos, foram vendidos 180 e-readers. No Natal do ano passado, a livraria digital registrou pela primeira vez em um único dia a venda de Kindle maior que de livros físicos.

FONTE:Por Filipe Albuquerque, PC Magazine, em 20/07/2010

terça-feira, 20 de julho de 2010

Feliz Dia do Amigo!

Aos meus amigos, com carinho.
Hoje é um dia especial, graças à sua existência em minha vida!
Obrigada.

Mensagens para amigos não perdem a validade.
Se quiser ver outras postagens mais antigas por aqui, clique no marcador amizade.



Se quiser ler a letra e a tradução desta música, clique aqui.

"Mas, nem uma palmadinha, doutor?!"

Especialistas apoiam o fim das palmadas e de outros tipos de castigo físico

Se for aprovado pelo Congresso, até palmadas ou beliscões - mesmo com intenção de educar - podem ser motivo de sanções previstas no Estatuto da Criança e Adolescente (o ECA, que completa 20 anos), desde advertência à perda de guarda. Mas especialistas dizem que os adultos não terão de ficar de mãos atadas. O objetivo da medida é discutir o tema e propor uma mudança no comportamento, sem criminalizar os pais.

"Fomos educados até hoje assim e achamos que não há outra maneira de disciplinar e ensinar. Esse comportamento agressivo só nos afasta das crianças "

Mesmo assim pais estão preocupados. Numa pesquisa com leitores no site do Globo, 1.800 deram a sua opinião e apenas 16,3% concordam com o projeto; 6,97% acham que é uma violência bater, 4,77%, que é preciso conversar e ter paciência com as crianças, e 4,56% dizem que a criança não tem como se defender. Porém 44,15% afirmam que as palmadas ou castigo físico é uma forma de impor limites e 33,34% que os pais devem ter liberdade na educação. Para 4,56%, a palmada fez parte da educação deles e, por isso, são contra a lei. Marcia Oliveira, coordenadora do projeto "Campanha Permanente Não Bata, Eduque", diz que é preciso mudar esse pensamento:

- A lei não é para prender, nem o texto prevê isso. Queremos estimular a reflexão sobre o assunto.

Marcia e outros especialistas afirmam que mesmo um tapinha eventual é uma mensagem equivocada à criança, e não educa, porque tudo que causa dor é ruim.

- Fomos educados até hoje assim e achamos que não há outra maneira de disciplinar e ensinar. Esse comportamento agressivo só nos afasta das crianças - diz.

Ela admite que não é fácil e tem horas em que perdemos a paciência, como, por exemplo, quando a mãe está atrasada para o trabalho de manhã, ainda tem que deixar os filhos na escola e eles estão enrolando para sair da cama, tomar banho. Mas dá para segurar a raiva:

- É melhor dialogar e negociar com as crianças e adolescentes, estabelecendo sanções viáveis. Há pais que prometem proibir acesso à internet ou à TV por dois meses. Até eles sabem que não dá para cumprir isso. É preciso ter coerência nas ações e não abrir mão delas.

Vítimas tornam-se pessoas agressivas

O psicólogo e terapeuta Carlos Zuma, do Instituto Noos - que faz parte da rede "Não bata, eduque" - concorda. Ele ouve queixas de juízes dizendo que não têm parâmetros legais para julgar casos de castigos em crianças, só jurisprudência. Agora, poderão ter.

- Eles ficam na dúvida se os pais castigaram na intenção de educar ou foi uma agressão gratuita. Hoje é subjetivo. Aqueles que reclamam que a nova lei é ingerência na educação dos filhos devem repensar isso. No caso Isabela Nardoni, por exemplo, vizinhos escutaram agressões à menina e não avisaram à polícia, talvez porque pensaram que não deveriam se meter. É momento de reflexão. Será que bater ou um tapinha é a coisa certa? Estamos ensinando a criança a responder a uma contrariedade com uma agressão - afirma.

Uma saída, ensina Zuma, é mostrar as crianças que os seus atos têm consequências, que elas não podem tudo. Quando os pais não conseguem isso sem agredir, devem buscar ajuda, conversando com pessoas experientes ou psicólogos:

- Se você tem pavor que batam em seus filhos, então por que agir da mesma maneira? Se não posso bater num adulto, por que agredir a criança, o adolescente? A lei Maria da Penha levou a sociedade a não tolerar a violência contra a mulher e buscamos isso para as crianças e os adolescentes - diz.

Para o psicanalista Paulo Quinet, diretor de divulgação da Federação Brasileira de Psicanálise, ninguém deve aceitar maus tratos à criança e o castigo físico mostra que é preciso usar a força física para resolver algo. Porém ele não critica um pai ou uma mãe que eventualmente dê uma palmadinha num filho:

- Com a nova lei, até segurar uma criança mais firme para coibir algo pode parecer uma agressão. É preciso bom senso - diz.

O problema é associar disciplina e educar com bater, diz Rachel Niskier Sanchez, diretora da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) e médica do Instituto Fernandes Figueiras (IFF), no Rio. Hoje 25 países têm legislação coibindo essa prática. Na América do Sul, só Uruguai e Venezuela adotaram lei semelhante:

- Não se trata de culpar a família. Educar requer muita paciência e diálogo, não atos violentos. Se a criança apanha de uma pessoa que diz que lhe ama e vice-versa, entende que pode bater em quem ela gosta. Tenho relatos de crianças que dizem que apanham porque merecem. Qual é o código que os pais querem passar aos filhos?

FONTE: Por Antônio Marinho, em O Globo, 17/07/2010

Clique aqui se quiser ler Projeto de Lei 2.654/03, a "Lei da Palmada", da deputada federal Maria do Rosário, do PT do Rio Grande do Sul.

sexta-feira, 16 de julho de 2010

Viciado(a) em internet? Eu?

Vício em internet deve ser considerado 'distúrbio mental', dizem médicos

Vício, compulsão ou doença mental? Para a publicação norte-americana "American Journal of Psychiatry", a dependência de internet, seja para jogos, e-mails ou conversas em comunicadores instantâneos e salas de bate papo, é doença mental.

Em editorial da edição de março, a publicação defende que o "vício" em internet seja classificado como distúrbio mental e entre para o Manual Diagnóstico e Estatístico dos Distúrbios Mentais, cuja próxima edição será lançada em 2012.

O editorial aponta o excesso de jogos e a dependência de e-mails e mensagens de texto como principais elementos no comportamento "desequilibrado". Alguns especialistas, porém, afirmam que a pesquisa na área ainda está engatinhando, e que seria cedo para tomar decisões. Segundo eles, ainda não é possível definir quando o uso de computador cruza a fronteira entre o normal e o patológico.

Grupo de risco

Em entrevista ao jornal "Ottawa Citizen", o Dr. Jerald Block afirma que 86% dos dependentes de internet sofrem de outros distúrbios mentais que acabam se sobrepondo ao "vício" on-line. Segundo ele, a maioria dos dependentes perde a noção do tempo e passa a negligenciar necessidades básicas como dormir e comer.

Segundo estudo de psiquiatras britânicos publicado em 2007 no Advances in Psychiatric Treatment, uma minoria entre 5% e 10% da população on-line sofre de compulsão. E, embora os primeiros estudos indicassem que a maioria dos dependentes eram homens introvertidos em com alto nível de instrução, estudos mais recentes mostram que mulheres de meia idade formam o principal grupo de "viciados".

Os pesquisadores comparam a dependência da internet com o comportamento abusivo de álcool e drogas. Os compulsivos usariam esse meio para "fugir da realidade". Enquanto especialistas não entram em consenso sobre as pesquisas, pelo menos o rótulo dessa compulsão já está criado: "heroinware" - conjunção entre "heroína" e "software".

FONTE: G1 tecnologia,19/03/08.

Redes sociais são novos espaços de convivência de alunos e professores


Na trilha do educando

"Cada vez mais, redes sociais se configuram como espaço em que os jovens se dispõem a ter com os professores a interlocução que está difícil de se consumar apenas em sala de aula "

Estas palavras são o início de uma matéria de Sérgio Rizzo, publicada no UOL Educação, que vale a pena ser lida por quem se interessa pelo assunto.

Nela, mostra-se a experiência de alguns educadores com as redes sociais e delas como novos espaços de convivência entre professores, estudantes e seus pares... E dos novos horizontes proporcionados por este meio.

Sempre falo com meus alunos que somos "professores e alunos" por período muito curto de nossa vida. Somos, na verdade, eternos aprendizes. Portanto, para mim, uma das tarefas primordiais da educação é proporcionar uma convivência ética, afetuosa e produtiva entre humanos, que se torne cada vez mais auto-sustentável no que tange à possibilidade de "ensinagem". Todos ensinam, todos aprendem... A grande magia ocorre quando isto proporciona prazer, curiosidade, vontade de alimentar mais e mais esta cadeia. Aí, estamos em um espaço sem fim!

Um vídeo do Programa Salto Para O Futuro, da TV Escola, do Ministério da Educação pode ser visto pelo YouTube e também é bastante esclarecedor.

quarta-feira, 14 de julho de 2010

Brasil é antepenúltimo em ranking de qualidade de morte

O Brasil ficou em antepenúltimo lugar em um ranking de qualidade de morte realizado pela consultoria Economist Intelligence Unit na Grã-Bretanha.

Entre os 40 países analisados na pesquisa, o Brasil ficou na 38ª posição. Os outros países que formam os Bric, Índia (40ª), China (37ª) e Rússia (35ª), também ficaram atrás no ranking.

A Grã-Bretanha ficou em primeiro lugar, seguida da Austrália e Nova Zelândia. Segundo o documento, A Grã-Bretanha "é líder global em termos de rede hospitalar e provisão de cuidados a pessoas no fim da vida".

Outros países desenvolvidos, no entanto, tiveram desempenhos ruins no ranking, como Dinamarca (22ª), Itália (24ª) e Finlândia (28ª).

“Muita gente, mesmo em países que tem sistemas de saúde excelentes, sofrem com mortes de baixa qualidade, mesmo quando a morte vem naturalmente”, disse a pesquisa.

Em muitos casos, segundo a Economist Intelligence Unit, isso ocorre porque a qualidade e a disponibilidade do tratamento paliativo antes da morte são baixas, e há deficiências na coordenação entre diferentes órgãos e departamentos para políticas sobre como lidar com a morte.

A pesquisa analisou indicadores quantitativos - como taxas de expectativa de vida e de porcentagem do PIB gasta em saúde - e qualitativos - baseados na avaliação individual de cada país em quesitos como conscientização pública sobre serviços e tratamentos disponíveis a pessoas no fim de suas vidas e disponibilidade de remédios e de paliativos.

De acordo com a Aliança Mundial de Cuidado Paliativo, mais de 100 milhões de pacientes e familiares precisam de acesso a tratamentos paliativos anualmente, mas apenas 8% os recebem.

Soluções

A pesquisa, encomendada pela Fundação Lien, uma organização não-governamental de Cingapura, aponta sugestões práticas que podem melhorar a qualidade da morte, como melhorar a disponibilização de medicamentos analgésicos.

"O controle da dor é o ponto de partida de todo o tratamento paliativo e a disponibilidade de opiáceos (morfina e equivalentes) é fundamental para o cuidado no fim da vida", diz o relatório.

"Mas, no mundo, estima-se que cinco bilhões de pessoas não tenham acesso a opiáceos, principalmente por causa de preocupações sobre uso ilícito de drogas e tráfico."

A organização disse também que combater as percepções sobre a morte e os tabus culturais é crucial para melhorar o cuidado paliativo.

"Em sociedades ocidentais, procedimentos curativos são frequentemente priorizados em detrimento do cuidado paliativo. Nos Estados Unidos, discussões sobre os cuidados no fim da vida muitas vezes inflamam o sentimento religioso que considera a manutenção da vida como um objetivo supremo. A questão é complicada ainda mais pela percepção de que 'cuidado hospitalar' acaba sendo associado a 'desistir de viver'".

Segundo a pesquisa, no entanto, um aumento na disponibilidade de tratamento paliativo – principalmente realizado em casa ou pela comunidade - reduz gastos em saúde associados a internação em hospitais e tratamentos de emergência.


UMAS REFERÊNCIAS, PARA QUEM QUISER LER MAIS SOBRE O TEMA:


sábado, 10 de julho de 2010

A dentista que desafia o autismo

Esta reportagem foi publicada pela Revista Época e me deixou muito emocionada.
São pessoas assim que mostram a riqueza que existe na humanidade.
Pena que estas notícias dão menos ibope do que outras macabras, como o "caso Bruno".
Parabéns à Revista Época pela bela reportagem!
Parabéns à Adriana, pelo alcance do seu amor...!
Foi para além do consultório, de seus pacientes e das famílias de quem ela cuida.
Chegou na minha casa, na vida de outros que podem ler esta reportagem, nas rodas de amigos que comentarem sua história... enfim, seu amor pode tocar cada coração por onde sua história chegar. E, assim você vai construindo um mundo melhor!




POR: CRISTIANE SEGATTO, Revista Época

Num consultório modesto no bairro do Tucuruvi, na Zona Norte de São Paulo, a dentista Adriana Gledys Zink atende pacientes especiais. Muito especiais. Ela se dedica aos autistas. Não apenas aos autistas mais colaborativos – aqueles que falam, estudam e podem até chegar ao mestrado. Adriana também socorre, de uma forma inusitada, os chamados autistas de baixo funcionamento. Aqueles que não falam, usam fralda e, quase sempre, são violentos.

Entre seus pacientes, há a mulher de 35 anos que arrancou um pedaço da bochecha da fonoaudióloga com uma mordida. Há também o menino que mastigou a falange do dedo da irmã. E ainda o pré-adolescente que arrebentou os dentes frontais da mãe. Como, então, Adriana consegue conduzi-los até a cadeira, fazer com que abram a boca e aceitem receber uma limpeza, uma restauração ou até mesmo a extração de um dente comprometido?

“Adriana é nossa encantadora de autistas”, diz Waldemar Martins Ferreira Neto, um dos sócios da Associação Paulista de Cirurgiões-Dentistas (APCD). “Ela tem um dom especial. Às vezes ninguém consegue controlar uma criança, mas ela se acalma quando Adriana faz contato.” Não há mágica nessa história. Há um inspirador exemplo de dedicação. Em 2003, Adriana decidiu fazer especialização em pacientes especiais na APCD porque se comoveu com a situação das famílias. “Mesmo quem pode pagar não encontra dentistas dispostos a cuidar de autistas”, diz.

Quando precisa de atendimento odontológico (mesmo que seja uma simples limpeza), a maioria dos pacientes é internada num hospital para receber anestesia geral. Adriana decidiu tentar fazer diferente. Passou a frequentar reuniões de famílias de autistas, estudou os métodos de aprendizagem disponíveis e conseguiu adaptar algumas técnicas para a odontologia. Sua principal inspiração foi o método Son-Rise, criado nos Estados Unidos nos anos 70 pelos pais de um autista. A história dessa família foi retratada no filme Meu filho, meu mundo. O método incentiva os pais e os terapeutas a observar as preferências dos autistas e usá-las como recursos de aprendizagem. Outro método usado pelas famílias é o Sistema de Comunicação por Troca de Figuras (Pecs, na sigla em inglês). Por meio de figuras, a criança aprende a comunicar suas necessidades e a entender que uma atividade acabou e outra vai começar.

Adriana criou Pecs específicos para a odontologia. É assim que ela apresenta a máscara, a cadeira, o chuveirinho etc. Às vezes, precisa de quatro sessões só para conseguir convencer o paciente a sentar-se na cadeira. Quando isso não é possível e o procedimento necessário é simples, ela atende a criança no chão. Adriana quer que o método receba respaldo científico. Encaminhou um projeto de pesquisa à Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) e aguarda o resultado. Depois de comprovar a eficácia de sua abordagem, Adriana pretende ensiná-la a outros dentistas.

“Mesmo quem pode pagar não encontra
dentistas dispostos a cuidar de autistas”, diz Adriana.

Todas as quartas-feiras, ela cuida gratuitamente de autistas, deficientes mentais (e de qualquer outro paciente que aparecer) no projeto social da escola de samba Unidos de Vila Maria. Até os 14 anos, Matias Cabral de Lira Junior (o Juca) nunca tinha ido ao dentista. Ele é deficiente mental e apresenta sinais de autismo. Embora não seja agressivo, Juca não fala e não engole a saliva. Também faz movimentos contínuos comuns entre os autistas, como sentar-se numa cadeira e balançar o tronco para baixo e para cima, sem parar. Há dois anos, Adriana conheceu Juca no consultório da escola de samba. Ele mora com a mãe num apartamento do Cingapura (conjunto habitacional popular que substituiu algumas favelas na capital paulista). Nunca estudou. “Tentei de tudo, mas nunca consegui matriculá-lo numa escola”, diz a dona de casa Marly Zulmira da Conceição, de 44 anos. A primeira providência de Adriana foi fazer uma longa entrevista com a mãe. Precisava conhecer todos os gostos de Juca. O que lhe agrada e o que o incomoda. Para que o trabalho dê certo, Adriana precisa de detalhes. Detalhes colhidos sem pressa.“Essas informações me ajudam a encontrar uma forma de entrar no mundo do paciente.”

No primeiro encontro, Juca não olhava nos olhos de Adriana. Tremia quando ela encostava nele. Para tentar estabelecer algum contato visual com o garoto, Adriana experimentou vários brinquedos. Bolinhas de sabão, desenhos, bichos de pelúcia. A única coisa que despertava o interesse de Juca era um carrinho emborrachado. Aos poucos, Adriana foi empurrando o carrinho para dentro do consultório. Juca o seguiu. Com fita-crepe, Adriana prendeu o brinquedo no refletor instalado acima da cadeira de dentista. Juca sentou-se na ponta da cadeira e levantou a cabeça para espiar o carrinho. Adriana acomodou uma das pernas dele sobre a cadeira e afastou-se um pouco para ver como reagia. Como ele ficou bem, a dentista acomodou a outra perna.

Depois de dois anos de acompanhamento, Juca está acostumado a Adriana e seus apetrechos. Na última sessão, quem saiu da caixa de brinquedos foi um Chico Bento de borracha. Ela movimentava o personagem encaixado sobre o dedo indicador direito enquanto, com outros dois, tentava relaxar o queixo de Juca.

– Abra a boca para o Chico olhar – Adriana pedia.

– Ahhhhhh – ele respondia.

Juca parecia seguro. Apesar de todas as limitações, a comunicação entre eles fluía. Adriana conseguiu de novo.